A nova loja da rede de livrarias Barnes & Noble tem uma proposta dentro do conceito de “Shop and Eat”.  Eu já fiz uma postagem sobre o tema em 2014 aqui: http://fredalecrim.com.br/2014/09/13/venha-pelas-roupas-fique-pelo-cafe/ e em 2015 aqui: http://fredalecrim.com.br/2015/05/11/como-o-varejo-esta-se-movimentando-para-atrair-mais-clientes/

Earns Barnes Noble

Então como você pode ver, esse conceito não é nenhuma novidade, já sendo uma realidade lá fora e crescendo também por aqui.  Por aqui, as livrarias ainda são nossa maior referência de “comprar e se alimentar”.  Esse projeto, era para ter acontecido em 2007, mas por causa da economia americana na época, foi adiado.

Nos Estados Unidos, parece ser essa a estratégia da Barnes & Noble para sobreviver e quem sabe, crescer.  Pelo menos é o que fica claro em sua mais recente loja aberta por lá.  A loja modelo é, na verdade, uma experiência de compras que oferece um serviço completo de gastronomia. Por trás do conceito, algo nada novo, ser um ponto de encontro da comunidade, um terceiro cantinho (tendência apresentada na NRF, feira de varejo que acontece anualmente em New York, no início dos anos 2000).

jump2_RP_BARNES_NOBLE_kiosk

Os Clientes podem comprar um livro de qualquer lugar da loja, inclusive do restaurante.  Essa é terceira loja da marca nessa pegada de “shop & eat” e experiência gastronômica com terceiro cantinho.

O novo conceito surge enquanto o futuro dos livros impressos ainda é questionado.  Na loja, há 140 lugares para os Clientes fazerem suas refeições que podem ser acompanhadas com vinhos e cervejas.

Esse movimento da B&N acontece exatamente 5 anos após uma outra rede de livrarias, o Borders Group encerrar suas atividades, fechando mais de 100 lojas no território americano.

lede_RP_BARNES_NOBLE_counter2jpg

O movimento de re-pensar suas lojas é uma tentativa de continuar viva no mercado.  A receita anual da marca caiu de 7.13 bilhões de dólares em 2012 para 4.16 bilhões no último ano fiscal.  A concorrência da Amazon com seus preços agressivos e livros e leitores digitais, ajudaram bastante nessa queda de receita.

O movimento tem a ver com oferecer uma experiência bacana para o consumidor.   Comprar e ler livros, tomar café, almoçar, fazer um happy-hour com amigos, mas sem esquecer da sua essência de livraria.

A Barnes & Noble continua sendo a maior rede de livrarias do EUA com 640 lojas pelo País.  A nova loja também abre espaço para eventos locais e escritores da comunidade.  A loja possui quase 2 mil metros quadrados

Movimento Gera Movimento, vamos ver para onde vai a Barnes & Noble com esse.

Abraços,

F R E D A L E C R I M

 

Quer ler a matéria original:  http://www.sacbee.com/news/business/article119795468.html

e tem mais informações aqui: http://www.villagelife.com/business/new-folsom-bookstore-fuses-food-and-literature/
e aqui: http://www.bizjournals.com/sacramento/news/2016/12/05/what-folsoms-new-barnes-noble-says-about-the.html